quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

João Cordeiro – Apenas mais um...



«Sei muito bem aquilo que posso fazer, o que não posso e o que me recuso a fazer. E – pode ter certeza – política é uma das coisas que me recuso a fazer. Não me entusiasma.»

Estas terão sido declarações do senhor João Cordeiro à “Visão”, em 2005.
O senhor João Cordeiro dirigiu, durante anos, aquele que é considerado um dos maiores lobbies da economia portuguesa, a Associação Nacional de Farmácias.
Ainda me lembro do tempo, nada distante, em que se acaso uma farmácia saísse das mão da família que a detinha havia gerações, o valor de trespasse do negócio que era anunciado, ainda que se tratasse de uma simples farmácia de bairro com três ou quatro funcionários, faria inveja a muitas médias empresas com cem ou mais trabalhadores e boas carteiras de encomendas.
À frente dessa poderosa máquina de fazer dinheiro, João Cordeiro notabilizou-se, nos últimos tempos, pelas guerras violentas que travou com o Partido Socialista. Desde Ferro Rodrigues, que lhe terá devolvido uma carta em que a Associação protestava contra a ideia da criação de farmácias sociais, pelo facto de esses “protestos” estarem alagados em insultos; passando pelas violentas trocas de galhardetes com o ministro da Saúde de Sócrates, Correia de Campos... até chegar ao próprio Sócrates a quem chamou publicamente «mentiroso e traidor»... o aguerrido Cordeiro foi dizendo do PS, dos seus ministros e dirigentes, aquilo que Maomé não ousou dizer do toucinho.
Notícia súbita... o senhor João Cordeiro é candidato à presidência da Câmara de Cascais!
Não! Não seria sequer notícia o facto de o homem aceitar um cargo político, depois de afirmar taxativamente que era uma coisa que se recusava a fazer. Isso é o pão nosso de cada dia... ainda que a “habilidade” de vir pretender, numa patética tentativa de justificar a "mudança", que o lugar de presidente de uma autarquia "não é bem política"... revele um pormenor de carácter que pode levá-lo ainda mais longe do que a anterior profissão ligada ao negócio da morte.
Não! Aquilo que realmente é notícia é o facto de o homenzinho se ter deixado convencer a ser candidato à Câmara de Cascais... exactamente pelo PS!
O que é indesculpável é que homenzinhos desta estirpe continuem, impunemente, a atirar gasolina para a fogueira onde arde a honorabilidade da nobre actividade política, no que ela encerra de sentido de serviço público, de dádiva de si aos outros. Actividade nobre que, por entre tanto fumo de corrupção, interesses e oportunismo, acaba por ter colado o rótulo sujo do “Eles são todos iguais!”... por mais injusto que isso seja para tanta gente honrada que entende a política como ela deve ser entendida, sejam autarcas ou políticos em geral que, manda a justiça e a mínima honestidade intelectual que se diga, podemos encontrar em várias áreas do espectro político-partidário e entre muita gente independente.
Isso é que é indesculpável! Quanto ao resto... é apenas mais um!

9 comentários:

Antuã disse...


O homem não é um cordeiro, é um grande carneiro.

VC disse...

E o papel do PS?

VC disse...

E o papel do PS?

Maria disse...

Estes gajos, os que são todos iguais, metem-me cada vez mais nojo!

Abreijos.

Graciete Rietsch disse...

Sim, apenas mais um!!! Mas destes é que a desgraçada política deste país se vai fazendo.

Um beijo.

Anónimo disse...


ainda "eles (não) são todos iguais!" ainda... ou serão?... "ele" há belos discursos, que ainda não foram actos...seria interessante experimentá-los. talvez me livrasse de "certos e determinados" cepticismos :)

vovómaria

Camolas disse...

"Um lobo com pele de cordeiro", com todo o respeito que os lobos me merecem

maia disse...

Que qualquer cordeiro queira ser presidente de câmara... do lixo, qualquer coisa, mas presidente; o poder! Mas o PS aceita, propõe?
Que nojo de memória curta. O dono do mundo das farmácias! Dinheiro, dinheiro, poder! Tanto, que conseguiu fechar a farmácia dos Sams. Uma luta que o grande capitalista cordeiro ganhou! Sempre o poder do lado do grande capital! Os dirigentes sindicais dos bancários (em maioria) eram do PS.
Quem foi aqui amansado: o cordeiro ou o PS? Que nojo!!!!

Nuno Nogueira Santos disse...

Sobre o mesmo assunto, sugiro leitura: http://jornalistasdesofa.blogspot.pt/2013/01/agora-e-nossa-vez.html