quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

O problema de haver quase tantos “Josés” como chapéus


O meu habitual agregador de notícias online exibia o título:
Distraído como sou, já me estava a perguntar por que raio é que fazem tantas perguntas ao D. José... e ninguém se preocupa em tentar, pelo menos uma vez, saber a opinião do cavalo...
Mas não! Aberto o link da notícia, tratava-se afinal do senhor José Policarpo, dissertando sobre as suas recorrentes preocupações a propósito de problemas sérios, problemas que alguém, algum dia, haverá de resolver... desde que não seja recorrendo a manifestações, votos em partidos que “valha-nos-deus-abrenúncio-satanás”... e outros grandes pecados semelhantes.
Que raio de jornalismo tão hermético!!!

7 comentários:

Graciete Rietsch disse...

Então a que recorrer?

Um beijo.

Provoca-me disse...

Mas não estamos num estado laico e que provavelmente nesse suposto estado laico essas coisas não tinham voto na matéria? E porque raio é que essa alminha deprimente tem sempre que parlar para a televisão do estado todos os anos se estamos num estado laico?

Pata Negra disse...

Entre a vontade duma estátua e a vontade do Policarpo, o resultado é o mesmo!
Um abraço e bom natal

Antuã disse...


O Policarpo abusa do estado laico.

Maria disse...

O que ele e os amigos dele querem eu sei, mas não posso dizer aqui...

;)
Abreijos.

Olinda disse...

D.Josê Cerejeira,devia preocupar-se dos padres que "comem" crinancinhas do pequeno almoco,ao jantar.Faria um melhor trabalho ä sua igreja.

Um abraco

Sportinguista ateu disse...

Eu gosto de ouvir é D. Januário Torgal, é dele e de Pinto da Costa, parecem irmãos gémeos a falar e a pensar.

Como tenho a fé em baixo!... lembrei-me de relacionar, é o que faz o desespero.