quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

PS e PCP – Os “inimigos”?


«Não distinguir os inimigos sempre foi Fatal, apreciações à parte os camaradas quando se unem com a direita Gozam que se Fartam, é fartar vilanagem, tudo quanto sirva para derrubar o PS é bom. Já lá vão quase 40 anos e os camaradas ainda não deram pela QUEDA DO MURO. Vão ganhar as próximas eleições. Como sempre aliás».
Retirados uns acidentais erros de digitação, é este o teor de um comentário deixado no post que, em tom de simples brincadeira, aqui escrevi sobre o valoroso ataque ao poder “a la António Vitorino”, protagonizado por António Costa, escrito por um militante ou simpatizante do Partido Socialista, que se identificou como Miguel Lopes.
Constatamos assim que o Miguel Lopes, depois de ter engolido a cassete com a lengalenga da culpa do PCP na queda do demissionário Sócrates... ainda não conseguiu regurgitá-la... apesar do ridículo da música e da letra da cantiga.
Segundo o nosso comentador (mais picardia, menos picardia), o PCP escolheu o PS como “inimigo” principal... "aliou-se à direita"... e o resultado é o que se vê!
Portanto, se bem entendo, que fique para a História que foram os comunistas, e não Mário Soares (e o PS), quem conspirou com a CIA e Carlucci para a derrota da Revolução de Abril.
Que foram os comunistas e não Mário Soares (e o PS), quem conspirou com os sectores mais retrógrados e fascistas da Igreja Católica, com o apoio operacional de organizações terroristas e bombistas de extrema direita, para assaltar sindicatos identificados com os comunistas... e Centros de Trabalho do próprio PCP.
Que foram os comunistas e não o PS que, a nível governamental, fizeram alianças repetidas ao longo de décadas... mas sempre e só com o PPD-PSD e o CDS.
Finalmente... que foram os comunistas e não o PS, quem assinou famoso memorando com a troika.
Temos que admitir que para ter uma tal visão da História... é preciso ter uma “extraordinária visão”!
Agora a sério... resta uma singela pergunta dirigida a todos os “Migueis Lopes” desta vida:
Se, então, o PS não é “o inimigo”, e eu não digo que o seja, pelo menos nesses termos... quando é que , exceptuando honrosos casos pontuais e de natureza local... alguma vez foi o amigo?

24 comentários:

Graciete Rietsch disse...

Pergunta certa. Quando é que foi amigo? Gostava mesmo de saber!!!

Um beijo.

Diogo Jorge disse...

É básico mas não evito...
Com amigos desses quem precisa de inimigos?

Abraço

vítor dias disse...

Tu aludes genericamente a isso, mas é bom lembrar o caso de 1985 em que já era Cavaco Silva primeiro-ministro, depois de ter desfeito o bloco central,e nem isso impediu o PS de fazer cerca 40 coligações com o PSD para derrubar Câmaras de maioria APU.

Anónimo disse...

... para ter uma tal visão da história, eu diria:
- é preciso ter muita ignorância;
- é preciso andar muito distraído;
- é preciso ser muito faccioso;
- é preciso ter muita lata.
- é preciso, é preciso, é preciso...
- é que tenham juizo!!!

efernandes disse...

Xuxialistas de M, é o que são, infelizmente, a maioria dos socialistas!

Anónimo disse...

Eu diria que, para ter uma tal visão da história:
- é preciso ser muito esquecido; ou
- é preciso ser muito ignorante; ou
- é preciso andar muito distraído; ou
- é preciso ser muito faccioso; ou
- é preciso, é preciso, é preciso...
... enfim: ter mas é juízo!!!
Rui Silva

Tiago R. disse...

O comentário do VD (oportuno e acertado como sempre) mostra a bem a realidade: o PS (e as suas políticas de direita) é que é o grande obstáculo ao avanço das forças (verdadeiramente) de esquerda. As transformações de que o país tornam obrigatório a que se "quebre a espinha" ao PS.

Não é certamente o inimigo principal, mas é definitivamente o inimigo mais imediato.

Provoca-me disse...

Tanto haveria para dizer que o PS e o Soares, fizeram para trair o povo, destruir Portugal para dar aos ricos, e para eles se aproveitarem.

Maria João Brito de Sousa disse...

Muito bem visto, Samuel... e melhor dito :)

Américo Nunes disse...

Já agora, também foi o PS, aliado ao PSD/CDS, com o apoio de dinheiro e operacionais da CIA e quejandos que criou o movimento cisionista para "quebrar as espinha à Intersindical" que deu à luz a UGT para desempenhar desde sempre o papel vergonhoso que continua a ter no apoio ou cobertura a todas as medidas que visam eliminar direitos dos trabalhadores e mesmo reduzir os seus salários e reformas.
Com amigos destes vou ali e já venho...

augusta disse...

Sim, quando é que alguma vez foi amigo?
Penso, penso e, tirando esses casos pontuais, não sei…
Bem procuro na minha memória mais antiga, na mais recente todos temos presente o mais do mesmo, o vira o disco e toca o mesmo, as moscas mudam mas a merda não varia que, com o Luís Cília, então cantávamos.
Quem, num passado tão recente, se não lembra da sinistra Maria de Lurdes Rodrigues e do ataque à escola pública e aos professores? Uma ministra que pôs uma classe, que até nem é fácil de mobilizar, toda contra si! O que temos hoje na Educação? Milhares e milhares no desemprego. Professores a mais? NÃO! Temos é muita escola a menos! Quem deu o pontapé de saída? …
Por mais que recue no tempo, por mais que pense, vou parar, como agente importante do ataque às conquistas que Abril nos trouxe, incluindo à Escola das Portas que Abril abriu, vou parar, como dizia, ao amigo do senhor Carlucci e a um partido que de socialista só tem no nome a palavra…

Um povo culto é um perigo, não se deixa escravizar!

Revejo-me completamente neste texto do Cantigueiro, que subscrevo. Lembro-me de todos os factos referidos, não na visão de Migueis Lopes mas na visão objectiva de quem de facto os viveu. Os assaltos às nossas sedes, escritórios destruídos, livros feitos projécteis lançados pelas janelas, combustível de fogueiras onde o comburente, mais do que oxigénio, era ódio! E a morte por detonação de carga explosiva, quase aqui ao lado...
Lembro-me do Verão de 75, Terceira, lembro-me de o Mário Soares ter lá estado, lembro-me de um livro “Rumo à Vitória debaixo do meu braço rumo ao Jardim. E a alerta do perigo que era “andar por ali com um livro assim”. Ninguém me contou. Eu vivi!

“A santa cruzada manda matar o chibo vermelho”
E vi tantos carros, atirados ao mar…

A toda a acção corresponde uma reacção oposta, dizia Newton! Não será a acção dos branqueadores da história, brancos, pretos, azuis ou amarelos, como ainda há dias, a propósito da morte do Jaime Neves se tentou, que irá contrariar o grande Físico. Nós, que com o Zeca aprendemos como se faz um canalha, estamos cá!Com o nosso Poeta dizendo,
“A cada novo ataque
Cada escalada fascista
Subirá sempre mais alto
A bandeira comunista!"

Sem branqueamentos,
Haja memória!

CINTO NEGRO disse...

O PS em Portugal em particular e os PS's da União Europeia, só têm uma comparação possível na história: A do Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães (a única exclusão é o genocídio dos Judeus) que foram substituídos pelos funcionários públicos e em vez de os matarem a tiro ou com Zyklon, retiram-lhes o sustento e a possibilidade de o providenciar, morrendo ou à fome ou por suicídio.

Maria disse...

Como responderia a este tipo de comentários um amigo comum, "Pois"!

Abreijos

António disse...

Subscrevo sem uma vírgula o comentário do Américo Nunes. O PS/D apadrinhou a UGT em 1978 para traír os trabalhadores. O PS/D formou um governo (II Governo Constitucional) de coligação com o CDS em 1978 e em 1983 com o PSD (o chamado Governo do Bloco Central)

Olinda disse...

Pertinente post!Que bom que seria,vermos no PS,uma polîtica de esquerda,em defesa dos trabalhadores.Que bom que seria,lutarmos ao lado do PS,por uma sociedade mais equitativa,embora tenhamos opinioes diferentes sobre isso.Mas o facto,ê que o PS defende o outro lado e,nao o esconde.Nao conheco nenhum PS,que o seja por ideologia.Procuram no PS,interesses individuais ,uns mais modestos outros mais ambiciosos,mas os "tachos",hâ-os de todos os tamanhos.Sô um eleitor muito "naif",ou na lua ê que nao vë.Maior cego ê aquele que nao quer ver.


Anónimo disse...

Com ammmmmmigos destes quem precisa de ter inimigos? Quem não se lembra da letra de Ary dos Santos e das canções do Zeca quando atacaram os nossos Centros de Trabalho?
Que não nos deixemos "NÓS" minar e sejamos sempre coesos e fortes.
Saudações de Vicky

Antuã disse...


A gentinha do PS vem toda sempre com essa cassete.

P.Clé disse...

o pê esse sempre defendeu um estranho socialismo chamado CAPITALISMO, esse sim inimigo do SOCIALISMO.

Anónimo disse...

cinto negro

Tem mesmo a certeza que o PS de Portugal. e os PS's da u. europeia nao estiveram envolvidos no genocídio dos judeus?

Veja lá olhe que a mim parece-me que estiveram...

samuel disse...

Cinto negro:

Tenho a impressão… de que não.

Seja como for, se esse é o seu "argumento" (mais manobra de diversão) para negar a implicação do PS em tudo o que escrevi - é História, porra! - e mais naquilo que nem escrevi e que também é História, como as coligações autárquicas com a direita, a criação da central sindical amarela, etc., etc… lamento imenso. Por si, evidentemente! :-)

Tem a certeza de que o cinto não lhe está a apertar o cérebro em vez da cintura? :-)

Veja lá olhe que a mim parece-me que está...

Luis Nogueira disse...

O que nos torna inimigos, é aquilo que separa - deve separar - um partido revolucionário de um partido social democrata e nome e colaboracionaista na sua curta e nada heroica história.
Não esquecer que foi Mário Soares/PS que meteu Portugal na UE. Quando entregámos o mar, a agricultura, os texteis e outras indústrias, a moeda (sem moeda própria não há país independente), a capacidade de tomar decisões sobre a nossa própria segurança e alugámos militares nossos para guerra alheias...
De resto, esta última é velha pecha dos republicanos, dos socialistas de avental: antes da implantação da República, mandaram o Magalhães Lima e o José Relvas a Inglaterra pedir autorização para implantar a república. O troco´era o apoio militar de Portugal nas guerras inglesas. Dito e feito: na guerra de 14-18 lá mandaram carne para canhão: são oos mesmos republicanos/socialistas, os republicanos que tanto reprimiram os trabalhadores. Lá dizia o meu conterrâneo Afonso Costa, socialista e "tudo: a questão dos trabalhadores, é uma questão de polícia"
Amigos, estes fulanos?

Abraço

Luis Nogueira

Miguel Lopes disse...

Quem se lembra do Primeiro e do Segundo 1º de Maio a sério. Do enxame de KGBês que proliferavam,dos Stassi do cimo da alameda,da ajuda aos MPLAS criminosos do célebre 28 de Maio.Quem se lembra da Unicidade e das manobras da via única.Vem agora lembrar a CIA e o Carluci estão bem uns para os outros só que PORTUGAL ficou para trás.refem do imperialismo vencedor.

Anónimo disse...

Porque nao esta o PC no poleiro?

Rocha disse...

O PS é inimigo do povo português e dos trabalhadores. É meu inimigo.

INIMIGO com todas as letras. E isto é o que um comunista marxista-leninista pensa do PS. Isto é o que um comunista pensa da burguesia, que é sinónimo de PS.

Quanto à ficcional "base social" do PS, muitos anos de desemprego e de precariedade permitem-me afirmar sem hesitações: a "base social" do PS que se foda!