quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Bispo Carlos Azevedo



No seguimento mais esta estória, um tema já por demais corriqueiro nas fileiras da Igreja Católica, mas desta vez tendo como protagonista um bispo português a voar já tão alto na hierarquia, que bem poderia acalentar sonhos de vir a chegar a Papa... fica a pergunta:
Afinal, quem será mais “papável”?

O bispo, ou aqueles que, acidentalmente, passam ao alcance da sua “calorosa afectividade”?

Adenda: Nem de propósito... o primeiro comentário ao post veio lembrar que ficou aqui a faltar a declaração de que a orientação sexual de quem quer que seja, jovem ou menos jovem, é-me absolutamente indiferente... desde que seja vivida livre e voluntariamente.


11 comentários:

Jorge P.G disse...

Perguntinha venenosa...

A homossexualidade deste bispo é já bem conhecida no seio da Igreja católica.
Penso, assim, que o facto de precisamente agora vir para as páginas dos noticiários me cheira a "traiçãozinha palaciana"...
Quanto à orientação sexual do bispo, é-me indiferente. Quem me dera que este executivo que nos destrói como gente e como país fosse todo gay, mas sério e competente.

Anónimo disse...

Este seu post contraria as bases da justiça que costuma apregoar: presume que o bispo é culpado sem que os factos sejam julgados e ouvidas todas as partes. Verdade ou não, esta é a altura para "denúncias".
Que idade tinha a putativa vítima? 5, 10, 12 ou 19 bem vividos?
Escreveria o mesmo se fosse alguém do seu partido? Este é "papável" (trocadilho bastante ordinário) porque faz parte da sua fóbica Igreja?
A quem é que interessa a vida do bispo?
Desculpe lá, mas por aqui isto anda baixo de nível.

J. Pedro Fonseca

Anónimo disse...

Hoje o La Repubblica põe a correr a versão, de que Pastor Alemão se teria demitido por causa de um relatório de 3 cardeais, que denunciava o poder de um pseudo Loby-Gay no Vaticano.

Agora o Azevedo é atirado ás feras, exactamente por causa das suas preferências sexuais.

Isto cheira a esturro, não haverá antes uma luta surda, e a Opus Dei não se poderá estar a servir destes casos para alcançar mais poder?

samuel disse...

J. Pedro Fonseca:

Ó infeliz!

Encontre lá uma linha sobre a "culpa"!
Qual foi a parte de "vivida livre e voluntariamente" que não entendeu?
Onde é que aqui cabem parvoíces sobre partidos?

Leia outra vez tudo, mais a adenda... e depois volte para pedir desculpa, ou vá bardamerda. Tanto me faz!

São disse...

Só facto de Carlos Azevedo ser chamado para o poço de víboras do Vaticano (quase) à sorrelfa é mau sintoma.

Sugiro a leitura de "O Vaticano contra Cristo", da autoria de um grupo de compenentes da dita Cúria.

Bom serão

Maria disse...

Eu papo
Tu papas
Ele/ela papa!
Nos papamos
Vós papais
Eles/elas papam-se!!!!!!!!!

Abreijo.

Juca disse...


Pedro Fonseca o cú do bispo é dele. Não é isso que está em causa.

Anónimo disse...

O problema não está na orientação sexual de cada um, está sempre na mentira da Igreja que é contra tudo o que diz ser sexual e depois ficamos a saber dos abusos sexuais cometidos na própria igreja e que são aos milhares.
Faço ideia como seria na Idade Média a mixórdia de temáticas e de práticas que perpassavam pelos sagrados claustros dos templos e instituições da Igreja toda poderosa da qual Alexandre VI é apenas a ponta do iceberg.
O J Pedro Fonseca não concorda com o "papável" mas se o Papa existe o que lhe havemos de fazer? Que raio de nome é esse. O que significará PAPA?.
Ironia fazemo-la nós todos os dias e por qualquer porcaria se até nos rimos quando caímos.
E hoje em dia o respeito que reclama é bem maior graças ao Marxismo do meu partido que melhor do que ninguém tem lutado pelas pessoas pela sua dignidade não só a este nível mas em toda a dimensão do ser na luta pela sua libertação e no combate à alienação e exploração do homem pelo homem.
JM

Graciete Rietsch disse...

Ser homosexual é uma coisa, seja bispo ou tenha qualquer "outra categoria menos elevada". Mas ser abusador já é uma coisa muito grave seja qual for a posição da pessoa na hierarquia a que pertence.

Um beijo.

ferroadas disse...

Se o Azevedo é homossexual estou-me nas tintas, cada um é LIVRE de ter as opções que quiser. Agora se o tipo "papou" ou foi "papado" por menores aí a coisa é pedofilia, logo, é CRIME, se o dito é criminoso cadeia com ele.

Quanto à "renuncia" do Papa, ainda irá passar muita água por baixo das pontes até de saber a ou as causas, sabe-se que a Cúria é um ninho de víboras do piorio, só comparável à máfia siciliana (ou outra) onde os "negócios" de droga, armamento e consequente lavagem de dinheiro é coisa feita às claras.

Ansomilo disse...

Não me causa qualquer repulsa o facto do homem ser gay, cada um e como cada qual.Mas caso seja pedofilia, aqui ja e crime, cadeia com ele. Mas o pobre do homem, a ser verdade a sua homosexualidade tera o seu destino traçado, a pena de morte, se porventura o Papa a eleger for o Turkson, uma vez que este crapula defende a sentença capital. Enfim cada vez mais a Igreja e um santuario de podridão.