quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

Franquelim – O vendedor de passados *


É tal o afã de reescrever a História pessoal do Franquelim... que as aldrabices e simples asneiras vão-se sucedendo a um ritmo hilariante.
Para além de termos ficado a saber que foi ele, afinal, quem denunciou todo o escândalo da gigantesca fraude do BPN, segundo a última mentirola do cromo que faz de ministro da Economia, as “biografias” multiplicam-se, só que, ao que parece, existe uma versão para cada destinatário e para cada ocasião.
Numa dessas novas versões de “biografia” ficamos a saber que enquanto eu próprio e mais uma catrefada de colegas andávamos a batalhar para acabar o curso na velha Escola Industrial e Comercial de Tomar, no ano lectivo de 70/71, o fantástico Franquelim, com menos dois anos de idade do que eu, mas aluno da mesma escola e ao mesmo tempo (sim, confesso... o homem andou comigo na escola!!!)... já trabalhava, aos 16 anos, como consultor na internacional e famosa Ernst & Young (que, então, nem sequer existia por cá!).
Quem poderia imaginar, nessa altura, que éramos colegas de um tal génio!!!
Estas tolices biográficas, um atropelo de incompetentes asneiras fabricadas de conluio com membros do governo, seriam apenas ridículas, não fosse o facto de revelarem o carácter profundamente aldrabão das pessoas que se instalaram no poder em Portugal. É inquietante!!!
* Convenhamos que o José Eduardo Agualusa não merecia esta maldade!

15 comentários:

Ana Vassalo disse...

Brilhante! A crónica, claro, se bem q estes convenientes anacronismos tbem nos deixam a pensar sobre certos "brilhantismos" do delírio, enfim. Mas... "convenhamos, José Eduardo Agualusa não merecia uma maldade destas."!
av.

João de Sousa Teixeira disse...

E não tarda acrescentarão que a avó dele era pai do rolha do Gaspar...
Só mesmo à estalada!

Anónimo disse...

Dizem que ele era paquete e não consultor..

Pata Negra disse...

Só há uma forma do homem se livrar desta embrulhada: dizer que está arrependido! O país é católico e perdoar-lhe-á!
Agora essa de viver num bordel convencido que era num convento, não pega!
Um abraço com uma pergunta: quem é que no governo não tem nada a ver com o BPN? Nem os carros de vidros escuros se safam!

Anónimo disse...

O amigo relvas do sujeito já veio em sua defesa. Rua com estes bandidos!

Aristides Rodrigues disse...

A dúvida que me atormenta é se o Franquelim entrou para a E&Y antes ou depois de ter aderido ao MRPP. Note-se que não acho as duas actividades incompatíveis, antes pelo contrário.

Manuel Norberto Baptista Forte disse...

Acabei de ver na RTP1 as "explicações"(!!!) do senhor.
Inqualificável, quanto a mim, o vazio das mesmas. É que ele não explicou nada, que já não se soubesse, e apelidou de "chicana política" o que lhe andam a fazer.
Face a toda esta aldrabice pegada, como se sentirá o vulgar cidadão Português, por exemplo as pessoas que estavam hoje na protestar no Terreiro do Paço, quer frente ao Ministéio das Obras Públicas, quer frente ao das Finanças? Com que auto-estima, uma pessoa amanhã se dirigirá amnhã para o seu local de trabalho quando tem gentinha desta a dar-lhe cabo da vida?
Até quando o Povo Português aguentará esta... malandrice pegada?.

Agulheta disse...

Tipo inteligente,um dia destes os neurônios fazem til de tanta sabedoria.Se tivessem vergonha?

Bolota disse...

Moços,

A historia do Franklim trouxe-me á memoria o celebre consultor da ONU Artur Batista da Silva. Sabem o que ele dizia??? Dizia: Observatório da ONU conclui que OE2013 conduz Portugal à situação grega Os resultados vão ser "catastróficos" se não mudar radicalmente a atual política. O aviso parte do economista Artur Batista da Silva.

Mas este era charlatão inteligente é o Franklim

Abraços

Olinda disse...

Quanto mais tapam,mais se destapam.Se tivessem um pingo de vergonha,voltavam atrâs com a nomeacao de mais um ladrao.Na verdade,mais um ,menos um...
este desGoverno tem sido uma escandaleira,tudo em nome da democracia (deles).

Um abraco

Graciete Rietsch disse...

Não é possível continuarmos a ser desgovernados por esta cambada de incompetentes, mentirosos, criminosos.

Um beijo.

Anónimo disse...

Parabéns pela foto do artista...parece mesmo um galaró! que é na realidade o que ele e os seus correlegionários deste gobverno são..galitos...o problema é que não os conseguimos arredar do poleiro!!!MG

augusta disse...

*****!

Até me lembrei de outros tempos, outras andanças a que associo sempre o Ary
“De um lado os bonzinhos
Com seu ar sisudo
(…)”
Franquelim? Mais um homem certo, do lado certo com os parceiros certos – mentirosos, ladrões – para fazerem cumprir a trajectória há muito traçada, o caminho que é o deles, o NOSSO NÃO!
“Do outro os malvados
gritando na rua
que os braços estão dados
que a esperança está nua.”

Mais ou menos lavagem? Mais ou menos mentira? Sabemos quem é, melhor, sabemos quem eles são!

Um beijo e obrigada, Cantigueiro

Antuã disse...


Os ladrões estão bem entre ladrões.

Luis Filipe Gomes disse...

O Franquesim em questão, a ser medido pela bitola de um afamado porfessor da telescola moderna já tinha ído para a prateleira dos troféus da nobre causa.
Diz esse porfessor que: "Em política aquilo que parece... É!"
Como estamos numa época má para bons "Jobs" lá tem o Fracolim que se assujeitar a perguntas jurnalisticas e coisa e tal, antes de ir deste cargo para outra melhor.
Uma coisa é certa, e aí o Frangolim tem razão; numa altura em que tantos problemas graves acometem o país como é que é possível estarmos a esmiuçar promenores do curriculu de pessoas como ele.

Eu até sou de opinião que bastava soar o dom para a coisa ficar arrumada. Dom Frankelim...!
Arreda que é fidalgo e mais nada. Nem uma palavrinha mais de reprovação.
Para os distraídos e os de ouvido menos apurado recomendava que fidalgos assim usassem anel dourado no dedo mindinho para identificação da sua alta estripe.