sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Liberdade de expressão... e Relvas


São palavras do director de informação da TVI, José Alberto Carvalho, num longo e confuso arrazoado em que mete os pés pelas mãos, tentando justificar-se e agradar a todos, depois de, involuntariamente ou não, ter iniciado a cruzada da “liberdade de expressão”. Apenas num aparte... não me lembro de ter ouvido José Alberto Carvalho insurgir-se contra o que aconteceu à liberdade de expressão de colegas seus que se “atravassaram” no caminho de Miguel Relvas.
Na verdade, já não pode justificar grande coisa! A verdade é que as declarações que fez antes, introduziram o tema da “liberdade de expressão”, tema que foi imediatamente cavalgado pelo PSD e os (poucos) defensores de Miguel Relvas… com destaque para o assombroso “socialista” Francisco Assis... que aproveita, na passada, para insultar os jovens manifestantes, chamando-lhes «rapaziada ululante, com a minúscula desculpa de uma certa inconsciência».
José Alberto Carvalho deveria saber que, ainda que se venda ao patrão (se acaso o faz), um profissional das notícias deveria ser capaz de continuar, pelo menos, a fingir ser um verdadeiro jornalista. Infelizmente, parece não saber!
Daí que não me espante por aí além esta sua frase com que abri o post, que pretende dar a ideia de qua ainda há muitos portugueses dispostos a considerar essa indesculpável fraude com pernas que dá pelo nome de Miguel Relvas, um “injustiçado”... seja lá a propósito do que for!
O que me espanta, isso sim, é que um director de informação, tal como o próprio Relvas e o governo a que pertence, não tenham ainda assimilado uma realidade por demais evidente:
Miguel relvas já não é, há muito, um ministro contestado! É um ministro profundamente desprezado! Que envergonha o país! Que causa asco! Como causa asco qualquer bicho morto e já a apodrecer, que o gato dos vizinhos arraste para o nosso tapete.

17 comentários:

Maria disse...

Este serve o patrão que lhe paga, pois claro. Os jornalistas isentos estão desempregados!
Sobre a erva já não digo nada. Apodreceu. Cheira mal.

Abreijo.

Anónimo disse...

Ele importa-se lá com essas coisas, como solidariedade com colegas. Ele é e quer é ser o "Sr. Director" e... ganhar concomitantemente.

Rui Silva

Luis Filipe Gomes disse...

Não deixa de ser cómico que estes jurnalistas especialistas em calar opiniões adversas aos seus amos, editurialistas da opinião do dono que alinham nas notícias de entertenimento em vez de informação falem em liberdade de expressão. Eles que são arautos do superficial sempre dispostos a fazer a notícia e a calar todo aquele que se atreva a falar daquilo que eles não têm coragem virem agora falar de liberdade de expressão não deixa de ser perversamente irónico.

castrantonio disse...

Já não me recordo onde nem quando, nem recordo também se era rapaziada ululante ou perturbante... Sei é que uma vez o moço (Francisco assis) levou uns tabefes no focinho no meio da rua, mas pelos vistos, tem que levar uns açoites de novo... e daí não sei, não vá o moço começar a gostar...

Graciete Rietsch disse...

Não posso conceber que se considere Miguel Relvas um injustiçado. Ele é um vigarista, que com os seus comparsas, está apostado em destruir o que resta do 25 de ABRIL,do alto da sua cátedra composta por uma única cadeira e MUIIIIIIIItas equivalências.
Se tivesse alguma vergonha, um pingo que fosse,não aceitaria apresentar-se como orador, fosse onde fosse.
Mas que podemos nós esperar destes terroristas neoliberais que nos desgovernam!!! Lutar para que eles e as suas ideias perniciosas desapareçam para sempre.Sem impaciência, como disse ontem o Sérgio Ribeiro na UPP, mas com firmeza, dito também por ele.

Um beijo.

José Luís Moreira dos Santos disse...

Que coisa! Desde de quando é este país uma terra bipolar? Desde sempre, respondo eu!Então, a cada um cabe o dever, o interesse, o direito, a utilidade, o que queiras, de escolher o seu lado. Não achas isso uma coisa interessante? Pois esses moralistas de conveniência acham. Já dizia o outro: é assim a vida!
E, quanto a este assunto, um tal de Vital, ai esse....
José Luis Moreira dos Santos
Estarreja

Anónimo disse...

Açoites ou metê-los no Campo Pequeno.Cabe lá muita gente...

Antuã disse...


O José alberto e o Relvas jogam no mesmo clube.

samuel disse...

Anónimo (12:48):

O Campo Pequeno já não é o que era!... Já muito dificilmente se pode considerar um "castigo"... :-) :-)

Se bem que o espectáculo (hoje mais raro) dos senhores em "collants" aos gritinhos com os touros... e alguns dos novos shows de "variedades" possam ser algo perturbantes. :-)

trepadeira disse...

Estes serventuários querem ignorar que a liberdade de expressão,toda a liberdade,tem de conquistar-se a golpes de machado.

Um abraço,

mário

Anónimo disse...

boa resposta, ao "aficionado" do Campo Pequeno! :)))

vovómaria

Luis Nogueira disse...

Essa do Campo Pequeno parece que é do Otelo, que as tem boas e bem parvas. Outra coisa é metê-los num Hércules" da força Aérea e mandá-los pastar para a Alemanha com a Adolfa Merkel, vaca frísia por excelência.
Ah, pas antes julgá-los e condená-los pelas roubalheiras e extorsões ao país, pelas fundações da palmada, pelos dinheiros recebidos da Alemanha, da Inglaterra, da CIA (via Carlucci), do que comeram dos fundos estruturais.
O Soares, não. Esse deve cá ficar, sempre excelentemente tratado, para o cidadão português se ir lembrando do que é um aldrabão.

Abraço
Luis Nogueira

Medronheiro disse...


O Xico de Assis levou umas lapadas em Felgueiras mas parece que quer apanhar umas cacetadas num sítio qualquer.

Pintassilgo disse...


Quando o Otelo falou no Campo Pequeno estava a pensar pôr lá os comunistas.

Zé Povinho disse...

Os carreiristas, neste país, costumam ser recompensados por isso, e não pela sua integridade.
Abraço do Zé

Olinda disse...

Quando a grande maioria do povo Portuguës estâ farto deste desGoverno,e este se impoe arrogantemente,ê de toda a legitimidade o povo demonstrar que qualquer membro do desGoverno nao ê aceite.Se somos obrigados a pagar uma austeridade,para a qual nao contribuimos,nao somos obrigados a comer e calar.Quando esses acomodados,bem pagos,ao servico dos riquîssimos falam em liberdade,estao a pensar na liberdade que eles teem em nos lixar com efe grande.

Um abraco

Anónimo disse...

A verdade dos acontecimentos que refere não é nem você nem eu que a temos. E, além disso, o sol quando nasce é para todos, não acha? Ou será que quem pretende exercer a dita liberdade de expressão tem que pedir autorização ao Comité Central? Eu estou tão farto de políticas neoliberais como da classe média filha de burgueses que lá engoliu a cassete e de repente tem o dom de ver a verdade das coisas. Ai acredito que tenha feito espécie a certas elites, que insistem em esticar o seu poder além do conferido pelo povo, ver um jornalista a não tomar partido contra o governo.