quinta-feira, 7 de março de 2013

Felizmente há gente assim!


“Ensinou-me a cantar que o povo é quem mais ordena... e que havíamos de chegar ao fim da estrada unidos como os dedos da mão.”
“Aquilo que tornava o meu pai um adulto... é o mesmo que, a mim, me impede de o ser!”

São apenas duas pequenas frases de um discurso que merece ser ouvido do princípio ao fim.
Encontrem uma maneira de perder o tempo em que iam fazer uma outra coisa qualquer... e “ganhem-no” aqui, ouvindo e vendo a Joana Manuel, actriz portuguesa, jovem, precária, lúcida, tocante, clara como água.



19 comentários:

Maria disse...

Felizmente há!
Infelizmente há um País que manda para o estrangeiro gente assim!

Beijo.

Anónimo disse...


Obrigada, Joana!!
haja Gente desta.
são o futuro deste país.

vovómaria

trepadeira disse...

Há.
Gente que luta e vai vencer.

Abraço,
mário

O Puma disse...

Parabens
também para ti
camarada

Bolota disse...

Maria,

Não manda porque a Joana ainda não foi.Digo ainda porque não sabe até quando se aguenta...
Haver Joanas assim, enche-nos a ALMA. Acho que todos nós nos revemos retratados de alguma forma no texto que ela tão bem elaborou a partir de factos.

Abraços

São disse...

E são estas PESSOAS que os pulhas que nos esmagam emviam para o estrangeiro...

Como ela diz,"temos mesmo que partir o espelho"!!

Obrigada pela partilha

Anónimo disse...

Senti um cutelo em cima de mim ao ouvir esta "jovem" de 36 anos e uma dor profunda! ATÉ QUANDO TEREMOS OS NOSSOS JOVENS A OUVIREM OS BASBACOS deste governo a dizerem que tudo vai bem no país das "MERDAVILHAS"?!!!...
Força e muita força!
Vicky

Ana Mandillo disse...

Agradecida!

Graciete Rietsch disse...

Lindíssima intervenção. Comovente e lúcida!!!

Um beijo.

Antuã disse...


Excelente.

Olinda disse...

Ôptima intervencao!Que bom seria,que houvesse muitos jovens,com a consciencia polîtica de Joana.


Um abraco

Provoca-me disse...

Já sabia que ela era uma grande Activista, por isso é que a entrevistei http://www.facebook.com/notes/pedro-marques/entrevista-%C3%A0-activista-cantora-e-actriz-joana-manuel/483742211690252

E o camarada devia ouvir as declarações num debate que fez em 2010 julgo eu, sobre Democracia. Brilhante.

Um abraço.

Pedro Marques

Anónimo disse...

Que boa lavadeira...

augusta disse...

ao ouvir a Joana, ao saber, viver tantos jovens como ela...

foi uma dor, foi uma raiva a crescer-me no peito...

Ela disse lucidamente tudo

Assim não dá! "Temos mesmo que partir o espelho."

BASTA!

Obrigada, Cantigueiro, é sempre bom saber gente assim.

maia disse...

Uma intervenção tão clara e lúcida, que só posso dizer "OBRIGADA". Eu vi os homens que não foram meninos e as meninas que já nasceram mulheres. Com emoção e raiva se houve falar desse Portugal. A raiva sobre quem explorou, os Passos, Relvas, Seguros, seja qual for o nome, são os mesmos. Quero crer sempre que é possível juntar todas as JOANAS e varrer estes lixos passados e presentes.
E esta jovem, nascida em 1937, lá estará, com as JOANAS, a varrer.

Luis Filipe Gomes disse...

Pois tive de publicar esta intervenção no meu blog!
Que outra coisa podia fazer?!
Agradeço mais uma vez a luz que derramas no chão que pisamos.

samuel disse...

Anónimo (02:41)

Que belo bandalho, porco, misógino, imbecil, canalha…

Como vê, "lavadeira" é muito, muito melhor e infinitamente mais digno do que tudo isto que você me parece ser!

Vá dar banho ao cão!!!

Rini Luyks disse...

Bravo Joana, grande discurso, subscrevo inteiramente e reconheço-me em tudo o que disse.

Sou músico/actor/educador, jovem de 59 anos, polivalente por opção, há 20 anos a trabalhar em Portugal, sempre a recibo verde, dos quais sete e meio na Fundação do Gil num trabalho de interacção musical com crianças hospitalizadas. Deixei de pagar segurança social há dois anos (após 17 anos, com as contribuições em dia) quando apanhei uma pneumonia neste mesmo trabalho ("hospital-acquired") e a segurança social não segurou absolutamente nada (blogpost: http://anacruses.blogspot.pt/2011/03/war-zone-ii.html).
No mesmo ano fui, tal como os outros colegas-músicos no projecto, dispensado pela Fundação do Gil (não despedido, pois nunca fomos contratados, bela atitude duma fundação que se pauta pela solidariedade), esse trabalho representava nos últimos anos 75% do meu rendimento. Desde então vivo de trabalhos avulsos na área da educação e actuações musicais esporádicas, em geral mal remuneradas, mas sempre com exigência de passar recibo verde (e frequentemente também duma declaração de não-dívida às Finanças e à Segurança Social..).
Desde o início deste mês tenho direito à qualificação “criminoso” (dívida à segurança social superior a 3500 euros, era 7500 euros).
http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=616687&tm=6&layout=122&visual=61 .
A qualquer momento posso ser impedido de emitir recibos verdes, posso vir a ter a conta bancária bloqueada, posso incorrer numa pena de prisão até três anos e uma multa até 180.000 euros.
Obrigado.

Carmelita Elsa Nóbrega disse...

A sua inteligência e a sua forma de falar a dada altura fizeram com que as lágrimas me viessem aos olhos .
A sua lucidez , coragem e determinaçao deveria tb estar nos jovens e políticos que compoem este governo que só nos tem desgovernado .
Nunca se cale e mta força porque o futuro está nas maos de jovens assim .
Um fraterno abraço e os meus parabéns .
Carmelita Nóbrega