quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Luiz Goes (1933-2012) – É preciso acreditar


 “Tu que crês num mundo maior e melhor
Grita bem alto que o céu está aqui
Tu que vês irmão, só irmãos em redor
Crê que esse mundo começa por ti

Canta, canta como uma ave ou um rio
Dá o teu braço aos que querem sonhar
Quem trouxer mãos livres ou um assobio
Nem é preciso que saiba cantar”
(Excerto de “Cantiga para quem sonha” – Leonel Neves/João Gomes)

Partiu o Luiz Goes. Deixou-nos a memória das suas cantigas coimbrãs e da sua emocionante e emocionada voz clara.
Na última vez em que cantámos juntos, numa homenagem ao José Niza, em Santarém (com o José Niza presente), apesar dos setenta e tantos anos, ainda terminava a sua “Cantiga para quem sonha” com um final corajoso e irrepreensível, uma oitava acima do normal, para “inveja” dos colegas.
Conheceu-me junto ao Zeca, ainda nos meus vinte anos e não sei o que captou da relação dele comigo, que o fez continuar sempre a tratar-me como se eu fosse eternamente aquele miúdo que precisava de ser acarinhado, provavelmente, por ousar cantar “aquelas coisas deles”.
Cantava que “É preciso acreditar que a canção de quem trabalha é um bem pra se guardar”. Pelo menos alguns de nós acreditámos... e acreditamos!
Até sempre, Luiz!


Cantiga para quem sonha” – Luiz Goes
(Leonel Neves/João Gomes)



“É preciso acreditar” – Luiz Goes
(Leonel Neves/Luiz Goes)

 


10 comentários:

São disse...

Fico muito triste com esta tão grande perda e Portugal fica mais pobre.

Que vá em paz!

Para vós, um beijo

Luis Filipe Gomes disse...

Há pessoas que não parecem poder morrer, pois sem elas ficamos um pouco orfãos.

Maria disse...

Cresci (leia-se, tornei-me consciente), ao som da voz deste homem. E dos outros que sabemos, das cantigas...

Abreijo

Rogério Pereira disse...

Belas (e merecidas) as tuas palavras! Belas as palavras dele: “É preciso acreditar que a canção de quem trabalha é um bem pra se guardar”

Graciete Rietsch disse...

Mais um momento triste de saudade!!!!

Um beijo.

ferroadas disse...

....é preciso acreditar.... SEMPRE

Até sempre Luiz.

trepadeira disse...

Conhecemo-nos na Guiné em 65.

Ainda hoje guardo,como se fosse só para mim,a serenata de despedida.

Um abraço,
mário

Anónimo disse...

Luiz Goes, o homem e a voz que se "liberta da lei da morte".
Vicky

Jorge Castro (OrCa) disse...

Luiz Goes deixou-nos uma voz identitária. Ao ouvi-la, em qualquer recanto, por mais recôndito do globo, um português reconhece-a e reconhece-se.
Aos sobrevivos fica a missão de o trazer ao nosso convívio em cada momento em que essa voz faça sentido... O que o mesmo é dizer-se sempre.
Tal o fez o Cantigueiro. Façamo-lo todos, também.

Anónimo disse...

Nas lutas que aí vêm cantemos Luiz Goes
Grande abraço