domingo, 27 de janeiro de 2013

Mónica Salmaso – “Até a vista se atrapaia, ai, ai, ai...”


Hoje temos uma recolha de folclore brasileiro (um colhido, como dizem por lá). É uma cantiga deslumbrante, muito bem acompanhada à viola por Paulo Freire, que chama para a cantar, uma cantora “boa absurdo!”, segundo as suas palavras.
E é mesmo “boa absurdo”! É a Mónica Salmaso, cuja preferência pela cultura, pela música de recolha, a música mais comprometida com a qualidade literária, embora não a impedindo de ter um vasto público, não se pode dizer que lhe tenha aberto as portas do estrelato. Dá gosto ouvir correr a sua voz. Dá gosto ouvi-la ousar “falar errado”... coisa que repugna a tantos intelectuais de pacotilha.
Quanto à cantiga, o Cuitelinho” (beija-flor)... que diacho se pode dizer de uma coisa assim doida de bonita?
Espero que vos chegue ao peito, que como a letra diz no final (sim, é preciso ouvir até ao fim!), «é onde o coração “trabaia”».
Bom domingo.
Cuitelinho” – Mónica Salmaso
(Popular – Recolha de Paulo Vanzolini e António Xandó)



8 comentários:

relogio.de.corda disse...

Linda voz e linda música.
Bom Domingo!

Maria disse...

Conheci-a em Salvador :)
E gosto!

Bom domingo.
Abreijos.

maia disse...

Que linda é a ternura! E "dita" assim!!
Obrigada ao CANTIGUEIRO por nos dar a conhecer músicas e vozes tão belas.

Graciete Rietsch disse...

Que voz cristalina!!!
E como eu gosto do"português brasileiro"!!!

Um beijo.

Luis Filipe Gomes disse...

Canção lindíssima, imagens poéticas muito belas. Um virtuoso violeiro, um instrumento que me lembra a viola toeira.
O poema parece-me ser a narrativa de um soldado arrancado da sua terra para combater na Guerra do Paraguai que acabou por volta de 1870 e durou cerca de 5 anos. Não sei interpretar se ele está impossibilitado de voltar por falta de meios ou se por ser alguém que a guerra tornou diferente. Não sei mesmo se dentro dele algum botão de rosa caiu antes de florir ou se é ele próprio o botão de rosa caído.

Bolota disse...

Olá Moços,

Por motivos desmotivados, melhor, devido á falta de vontade de dizer o que quer que seja, tenho andado afastado de tudo o que tenha a ver com polotica até de cantinho pacatos como este e só esa voz pacata me levaria a dizer alguma coisa.

Abraços

augusta disse...

O que eu posso dizer? Muito rapidinho que o coração se me atrapaia, COISA MAIS QUE DE LINDA!
Agradecer ao Cantigueiro e… ouvir outra vez.

Olinda disse...

Lindo!...Lindo!..Lindo!.

Um abraco