segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Jaime Neves – Uma grande injustiça



Acho normal que os inimigos de Abril, como o pascácio Passos Coelho (e mais alguns que sobre o assunto se abstenham violentamente), teçam rasgados elogios ao ex-comando Jaime Neves na hora da sua morte. A memória do militar que tão activamente participou no vitorioso golpe militar de 25 de Novembro, contra o 25 de Abril, deve ser-lhes muito grata.
Quanto aos membros da família e amigos chegados, a questão nem se coloca. Estão de luto, como todas as pessoas que estão de luto.
Seja como for, se era para enaltecerem a memória do militar recorrendo aos feitos de que mais se orgulhava... acho uma enorme injustiça que os vários epitáfios elogiosos não incluam os crimes de guerra, os massacres contra crianças mulheres e homens indefesos... esse tipo de “glórias”.

Para acabar, uma contribuição literária/musical: a parte final de um texto de uma cantiga do Zeca que, como bem se sabe, sempre "admirou" o boémio comando "ultra".


Chame-se o Bufallo Bill

Chegue aqui o Jaime Neves

Para recordar Wiriamu,

Mocumbura e Marracuene

Que a cruz gamada reclama

de novo o Grão-Capitão

Só os meninos nazis

Podem levar o pendão

Mas não se esqueçam do tacho

Que o papá vos garantiu

Ao fazer voto perpétuo

De ir prá puta que o pariu.

50 comentários:

Olinda disse...

Jâ devia ter morrido hâ 50 anos,teria poupado muito sofrimento.Ê um daqueles casos,que acho que mereceu o cancro,aliâs,ele era um cancro...(Ao ouvir a notîcia do ôbito,tambêm ,de pronto,me veio ä memôria a cancao do Zeca)

Um abraco

Anónimo disse...

Conheço a dor, a desilusão, o ruir dos planos. O cerco da assembleia era tão giro e tão "democrático". Lamentavelmente o Samuel é um fóssil e eu que acompanhei ao vivo e a cores aquela vertigem e aquela tentativa de assalto à nossa vontade expressa só tenho que constatar a coerência: Os fanáticos são incuráveis!

Pois claro, eram todos uns reacionários, uns artolas que queriam saber da vontade de todos e agir em consequência dessa vontade. Jaime Neves trocou-lhes as voltas? É verdade e ainda bem, até se foi embora sem usar a derrota inflingida aos malucos que tinham comprado a verdade na feira da ladra, os Pravdas. Quando é que deixas de nos demonstrar que és um fóssil?!
Um gajo que vos conheceu de perto.

Anónimo disse...

E que a terra lhe seja leve...
... como chumbo!

Rui Silva

Anónimo disse...

obrigado pela recordação deste poema tão oportuno que já fiz circular pelos amigos
JM

augusta disse...

"O país vai de carrinho
vai de carrinho o país
(...)"

Oh, Zeca!

Ás vezes, eu que conheci o Zeca, dou comigo a pensar, Que escreveria ele se cá estivesse? Dir-nos-ia novamente que é preciso animar a malta, agitar a malta, dar poder à malta! Dir-nos-ia que os eunucos se devoram a si mesmos! Reclamaria o direito de, no carreiro, sermos a formiga que ruma em sentido contrário, concordaria com o Sérgio de que mais vale ser um cão raivoso do que um carneiro. Dir-nos-ia que os vampiros não têm mais direito a andar por cá, que é mais que tempo de lhes fazer a trouxa e os pôr a zarpar. Ajudar-nos-ia a construir a cidade sem muros nem ameias, a cidade do homem, não do lobo mas do irmão. E viriam mais cinco e outros mais cinco e muitos mais cinco outra vez! E, então, seria o povo quem mais ordena!

Dir-nos ia tudo quanto no dia 23, com o Canto D'aqui, no Theatro Circo, como todos os 23 do mês Fevereiro, lembrando o Zeca, celebraremos!
Para que a memória (também de Jaime Neves) se não apague!

Maria disse...

Já não me lembrava de alguns 'detalhes' que são citados na notícia da sua morte.
De facto, estão todos do outro lado da barricada...

Abreijos.

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Lentamente no silêncio do anonimato vão desaparecendo as figuras fortes do 25 de Abril.
Emprestaram o seu nome e semearam liberdade que outros mais novos lhe roubaram e com fúrias europeias a vão destruindo...

Mig disse...

Numa hora destas todos devemos sentir a morte de um homem que segundo a sua consciência, fez o melhor para Portugal. Escrever o que o senhor escreveu nem merece comentário. Todos os Portugueses que fizeram o que julgaram melhor para o País merecem o meu respeito, mesmo aqueles com quem nunca concordei.

Graciete Rietsch disse...

Não deixa saudades!!!

Um abraço.

Reaça disse...

Os falcóes das avenidas não são nascidos e criados em trás-os-montes, nem são filhos de juizes nem vão para Wiriamu.

Esses retratados por Zeca Afonso, os paizinhos mandaram-nos para além pirineus na hora do sufoco.

Nem tudo o que calha em verso e muito verdadeiro.

Mealha disse...

Muito bom. Espero que arda em lume brando. E não sou religioso.

samuel disse...

Anónimo (01:12):

Caro valente e sem nome nem cara "gajo que nos conheceu de perto",

Já está com um surto de saudades tão grave?
Tem uma solução que nunca falha! Em poucos segundo estará com o seu ídolo. :-) :-) :-)

samuel disse...

Mig:

Ah pois é!

Salazar e Hitler também julgavam, não é?

Foi um assassino… por mais que "julgasse estar a fazer o melhor para Portugal". Portugal dispensava bem ser "melhorado" à custa de massacres e crimes de guerra.

Quanto ao 25 de Novembro… aí trata-se mesmo de uma questão de opinião.

Lamento, mas a sua lamechice politicamente correcta não cola!

Mig disse...

Não sou lamechas, apenas respeito toda a gente, ao contrário daqueles que só têm óculos de uma cor como os partidários dos regimes que cairam em 1989. Quem tem saudades que vá para a Coreia do Norte ou para a sperrzone do Muro de Berlim. Se não gostaram do meu comentário 'lamechas e políticamente correcto, talvez este seja melhor. Quero um Portugal sem parasitas como os que nos têm governado mas nunca negarei a todos o direito a dizerem o que pensam. Se ele não tivesse feito o 25 de Nov era o Salazar ao contrário. Uma bosta tinha sido substituída por outra.

samuel disse...

Mig:

Pronto... pronto... agora acalme-se e vá pra dentro, que o tempo ainda não está de confiança e as gripes "andem" por aí. :-)

Acho graça aos "tolerantes" e piedosos, como você... mas que à primeira contrariedade, já me está a mandar ir prá Coreia do Norte.
Por qual filha da puta de lógica é que eu haveria de ter que ir para a Coreia do Norte, seu este seu aquele?

Então eu também não quero o melhor pra Portugal?!

Vá dar banho ao cão, hipócrita!

Mig disse...

Liberdade para uns e Campo Pequeno para outros, já percebi a Democracia de muitos.

Não se preocupe com a minha saúde que está bem. Não vou reagir aos seus insultos porque sou superior a isso. No País onde vivo não se discute política de modo selvagem como vejo aqui. Divirtam-se a insultarem quem não concorda convosco, a minha participação neste post acabou.

samuel disse...

Reaça:

A canção do Zeca era mesmo sobre esses, não sobre o Jaime Neves, que só entra na letra como um "pormenor".

Seja como for, a origem "humilde" dos assassinos não me parece que alguma vez tenha alegrado os assassinados.

Porque é que trás-os-montes há-de ser um lugar mais virtuoso que Aveiro ou Faro?

Salazar teria sido ainda pior se não tivesse tido a bênção dos céus de ter nascido na humilde Santa Comba? :-) :-) :-)

maia disse...

Há pessoas que nunca deviam morrer; outros duram que se farta. É o caso deste militar. Quero ser realista e honesta. A pessoa em si não me diz nada, não era das minhas relações. Toda a gente gosta de viver. As ideias que estes ultra defendem é que não deixam um país crescer, nem o seu povo viver; não se pode chamar viver à miséria a que o condenam.
E já não quero falar da guerra do Ultramar. Houve os que vieram destruídos e os que se orgulhavam de ter matado.
E já agora porque é que quem defende assassinos se esconde no anonimato? Depois têm um blogue, um CANTIGUEIRO e um Samuel, que, de cara limpa e lavada lhes publica... aqueles chorrilhos. A diferença é a altura, a dignidade!!

Antuã disse...


O Jaime Neves foi o valentão que carregou sobre os deficientes das forças armadas, cegos e de cadeiras de rodas. É destes valentões que certa gente gosta.

samuel disse...

Mig:

Boa viagem... e continuação da boa saúde! :-)

maia disse...

Parabens ao CANTIGUEIRO, ficou em 1.º lugar. Fui agora ao Aventar ver os resultados.

Sensei disse...

Samuel!... Conheci bem a mentalidade e os actos desse senhor!... Tinha a ousadia de os ter filmado em Super 8 no local dos massacres criminosos e de os mostrar aos comandos e Infantaria 7, mais conhecidos por Rangers. Eu estive lá e de todas as vezes me apeteceu chamar-lhe cobarde e criminoso, mesmo espetar-lhe um tiro nos cornos. Mas eram demasiado os formatados, que chegaram a pagar por orelhas secas de "turras" aos veteranos da colonial, em especial aos da Guiné, completamente passados dos cornos e agarrados ao produto até dizer chega, enfim o nosso Vietname, bem recalcado e bem escondido. Esses que estão para aí a comentar são o esterco que existe em todos os países, cobardes do Apocalipse Now visto do sofá com sistema surround porque essa, é toda a emoção que têm e sentem e a meio saboreiam um "drink" a curtir um ganda filme, sem saberem nada de nada, apenas se ouvem a si e à sua acefalia, segura por detrás de um ecrã, um teclado e um mouse. Nem lhes devias responder, são dejectos de cão de donos hipócritas e mal formados, desvia-te e dá o devido desprezo a esses abjectos seres. O Criminoso morreu e em breve outros que tais lhe seguirão o caminho, ainda que não tendo sido militares, foram tão criminosos como esse cão de fila.

Luis Nogueira disse...

O Jaime Neves era efectivamente um sacana e um f. da p. sem categoria nenhuma como militar. Era, inclusivamente, um cobarde, como demonstrou no próprio dia 25 de Abri.
Eu (então aspirante), fiz o CIOE com ele, (Janeiro de 1962), ambos alunos, recém promovido a capitão. Passava o tempo a ameaçar os colegas, tipo: "Se você calha na minha companhia, leva uma porrada". Era um saloio desagradável e nada competente. Nenhum dos colegas alunos o suportava.
Os outros capitães que faziam o curso (Eanes, Vaz Serra e outros) não gostavam dele e passavam a vida a adverti-lo sobre a sua e brutalidade e incorrecção.
Era um tipo cheio de complexos, certamente pela sua baixa estatura e por ter sido fraco aluno na academia militar.

Abraço

Luis Nogueira

Medronheiro disse...


O Mig foi-se embora quando fazia menos falta.

Anónimo disse...

A moderação de comentários foi activada. Todos os comentários têm de ser aprovados pelo autor do blogue.
E quem é que aprova os insultos do autor do blogue a quem tem ideias diferentes?

Reaça disse...

Quem fez o 25 de Abril e o 25 de Novembro foram os militares.

Foi graças aos militares que os governantes "ficaram em sentido" numa data e na outra.

Não é pelos militares que o país cai de vez em quando em desgraça.

Chamar assassino a qualquer militar que tenha servido na guerra do ultramar é gratuito e faccioso.

samuel disse...

Anónimo (18:14):

Caro comentador sem nome e sem cara…

A primeira linha, prova apenas que sabe ler.

A segunda, essa sim, é uma pergunta de fundo filosófico, que vai deixar o mundo em suspenso... à espera de uma resposta à altura! :-)

samuel disse...

Reaça:

Infelizmente… o que escreve está quase tudo errado.

Já a última linha, para além de errada, é mal intencionada! Gratuito e faccioso é pretender insinuar que eu chamo assassinos a todos os militares que foram mandados para a Guerra Colonial.

NÃO!!! Assassinos foram apenas os assassinos. Jaime Neves foi um assassino!

Anónimo disse...

Pode tes sído tudo o k dizem mas foí um ser humano k morreu .

samuel disse...

Jovem anónimo (começa novo!) das 21:09

Presumo k seja jovem e muito dado a telemóveis, a ver pela energia transbordante kom k liquida o português… :-) :-) … mas aki ninguém kix dizer k o homem não era um ser humano (embora se esforçasse bastante para não o parecer). Aki disse-se apenas k o tal "ser humano" era uma besta assassina k se não tivesse nascido teria poupado a vida a largas centenas de inocentes por ele assassinados em acções militares não dignas desse nome, já que foram simples e asquerosos crimes de guerra.

Espero que o meu esforço com esta malukeira dos kês tenha ficado mais ou menos a seu gosto.

Pintassilgo disse...


Chamar ser humano ao Jaime Neves é muita benevolência.

António disse...

No 25 de Novembro de 1975, foi um traidor aos ideais de ABRIL. Ainda me lembro que proibiu uma assembleia popular no campo de futebol do Estrela da Amadora, mostrando aí a sua verdadeira face de contra-revolucionário que veio a confirmar no 25 de Novembro. Aliás, não foi por acaso que Jaime Neves esteve envolvido nos crimes do Massacre de Chawola, Wiriyamu e Juwau, em Moçambique, a 16 de Dezembro de 1972. Aos verdadeiros democratas não deixa saudades.

Fialho disse...

http://salvoconduto.blogs.sapo.pt/78337.html

"...Caprichava-se na escolha da morte. As mulheres eram usadas sem pudor. Os homens caíam à paulada, pisados, outros a tiro. Um soldado de Tete matava as crianças à faca. Atirava-as ao ar como a uma bola de trapos e acabava com as suas graças na ponta da lâmina. Os que tentaram fugir foram abatidos a tiro. Também juntaram homens e mulheres em filas, colocaram-se em cunha, e berravam: «Batam palmas para se despedirem da vida.» De seguida, disparavam. Os corpos que caíam produziam um barulho surdo. Depois cobriam-nos com mato e lançavam o fósforo. As crianças pareciam línguas de fogo entre o fumo."



"...Metiam dez, talvez quinze pessoas, numa palhota, é difícil precisar neste momento. Foi tudo muito a correr, mas quando ficava cheia, lançavam as granadas e fechavam a porta. Passavam uns segundos. Antonino primeiro ouvia os gritos desesperados, silêncio quando as granadas rebentavam, o tecto subia, caía, a palhota incendiava-se. De novo gritos, choro. Poupava-se balas. Morriam queimados. Às vezes, a porta abria-se, alguém tentava fugir. Tiros. «Nestas operações, matar um ou vinte é indiferente. Depois de desencadeada, é para cumprir e seguir em frente. Tudo a eito.» A mesma expressão neutra."...

Donzilia conceiçao disse...

As saudades de quê e porquê, se fez o que lhe pediram que fizesse por medo e vergonha, e só 300 homens ele comandou e fez o que lhe apeteceu por ordem de Soares e SPINOLA, e outros militares que traíram o povo e o 25 de ABRIL, quem viu sabe o que viu, e Salgueiro mais, não conseguiu que OTELO SAÍSSE, SÓ PORQUE TIVERAM MEDO DE PERDER O TACHO. FOI PENA É POR TUDO ISSO QUE HOJE ESTAMOS COMO ESTAMOS. E ASSIM SE FEZ PORTUGAL.... PORQUE SERÁ QUE HÁ TANTA GENTE ANÓNIMA A COMENTAR, TÊM MEDO DO MEDO, É QUE O MEDO ANDA POR AÍ, MAS EU QUE VIVI ISSO TUDO NÃO TENHO MEDO DE ASSUMIR O QUE ESCREVO. SEI BEM QUEM ERA JAIME NEVES. E HOJE DEVE CAIR O GOVERNO ANTES QUE CAIA-MOS TODOS DE FOME E MISÉRIA. QUEM ACHA QUE ESTÁ BEM É CONIVENTE COM A MORTE DE UM POVO E ATÉ DE UMA PÁTRIA.

Provoca-me disse...

Tendo em conta que ele era um assassino, com ideias de extrema direita. Não será antes um nazi?

Anónimo disse...

depois nao querem que os comunistas sejam equiparados a fanaticos ou a seitas... com comentarios destes, ate eu tenho vergonha de ser comunista.
Por favor, controlem-se

samuel disse...

Anónimo (23:28):

Ó pobre infeliz!
Assim, sem nome e sem cara para mostrar e a dizer disparates… você não parece ter vergonha de ser comunista (sim, e eu sou piloto da NASA!!!); parece antes ter vergonha de ser... seja o que for.

Muito provavelmente, tem toda a razão para ter vergonha!!! :-) :-) :-)

Anónimo disse...

Não me esqueço que a 25NOV75 os comandos só saíram depois de terem a garantia que os Fuzos não saíam. É fácil ser-se "herói" quando não se tem oposição. É fácil matar quando o inimigo está indefeso. É fácil carregar sobre os deficientes das forças armadas.
A 25ABR74 Jaime Neves não cumpriu com nenhum dos objectivos incumbidos.
A história se encarregará de provar quem era este assassino.
Obrigado Samuel, por teres fomentado este debate
HM

Reaça disse...

Quem fala em crimes de guerra na guerra do ultramar e não participou nem assistiu, não deve falar só porque ouviu.

Porque quem conta um conto aumenta um ponto.

Aqueles que falam com toda a certeza e pormenores é porque participaram nesses crimes ou assistiram e também são criminosos.

Antuã disse...


Reaçça você É um ponto. Se não se viu não se fala do que se não viu, se viu é criminoso. Porque não segue o caminho do Mig? Fala quem cegou na Guiné com minas do PAIGC e tem a certeza dos muitos crimes de alguns militares portugueses. Alguns que até eram uma minoria.

Graça Sampaio disse...

Ó Samuel, tenha dó!... Raço de tendenciosos que vocês são!...

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

No Tamila choraram bastante a morte de Jaime Neves

João de Sousa Teixeira disse...

…E eu, distraído è frente de um telejornal da TVI, fiquei a saber que este “capitão de abril” comandou as forças democráticas contra o golpe de estado comunista de 25 de Novembro de 1975. Na casa dos meus pais havia uma expressão corrente que dizia: morre o bicho, morre a peçonha… Não é este o caso: a peçonha vai conspurcando a história que os nossos filhos vão ler.
Abraço

Anónimo disse...

Pois eu não vivi esses duros tempos de guerra. Viveu meu pai, combatente em Moçambique, que quase sempre deixa cair uma lagrima de angustia quando fala do Ultramar. Na boca de meu pai, que coitado, aos 20 anos, nada sabia de politica e teve de lá ir bater com as costas defender o indefensavel o General Jaime Neves era "um combatente a sério" e um "patriota a quem muito devemos, um dos ultimos herois da nossa historia". Quando lhe perguntei pelos massacres, não os negou, apenas disse: "é a guerra...ou eram eles ou nós...vi muitos camaradas tombarem sem saber de onde elas vinham...era a guerra, ou matavas ou morrias. Essa gente nunca deve de lá ter ido para falar assim..."Eu acredito no meu pai.

Ass: Romão.

Anónimo disse...

"Jâ devia ter morrido hâ 50 anos,teria poupado muito sofrimento.Ê um daqueles casos,que acho que mereceu o cancro"

Que pena não haver mais comunistas a falarem na praça pública com esta sinceridade e frontalidade sobre o que realmente pensam, como acabou de fazer exemplarmente a Olinda.

Era maneira de abrir os olhos à população para que ficasse de vez elucidada sobre a verdadeira natureza de carniceiros genocidas da corja vermelha

samuel disse...

Anónimo (19:47):

Claro, claro, valoroso anónimo escondido sem nome nem cara!

O energúmeno do Neves assassinou aldeias inteiras de crianças e mulheres indefesas… e a Olinda, por esse desabafo… é que é genocida.

ATRASADO MENTAL!!!

samuel disse...

António Cunha:

O facto de você ter pensado, por um momento que fosse, que o seu chorrilho de ordinarices destrambelhadas seria publicado… mostra que para além de ter uma boca imunda, é também imensamente ESTÚPIDO! :-) :-) :-)

Bolota disse...

..."Eu acredito no meu pai.

Romão,

O seu pai está carregado de razão até certo ponto: é a guerra. Perde-a quando sob a capa da guerra se lança uma criança ao ar e na queda lhe espeta a faca de mato. Abusar de uma mulher indefesa e a seguir a matar, não é guerra, são crimes de guerra e para tratar desses crimes existe o TPI(Tribunal Penal Internacional).
Tambem eu tal como o seu pai bati lá com as costas, na Guiné e seria incapaz de fazer ou deixar fazer tamanhas atrocidades, que só mentes doentias são capazes de levar a cabo.

Abraço

Bolota disse...

Samuel,

O Osgas estupido??? É mais pro trambolho como se diz em Baleizao.

Parabens pelo 1º lugar.

Abraço

Frunze disse...

Goste-se ou não do Neves, o dito não este em Wyriamu ou lá como se escreve o nome daquele complexo de aldeamentos.

Factos:

- Não era comandante nem elemento da 6ª Companhia de Comandos de Moçambique - esta era comandada por um alferes (graduado, ainda por cima) chamado Antonino Melo;

- A operação em si mesma - "Operação Marosca" - foi comandada pela PIDE, através de um tal Chico Kachavi, um gajo "fresco". Os Comandos não foram mais do que idiotas úteis da PIDE para a sangria;

- Penso que, nessa altura, o Neves comandava o Batalhão de Comandos de Moçambique, mas não tinha supervisão directa sobre as operações de cada companhia de Comandos - estas respondiam ao comando da Zona Operacional ou de Sector respectivo, creio eu.


Posto isto, parem com a demagogia de dizer que o homem este nesse massacre, porque tal não é verdade. O gajo estava longe de ser um portento de inteligência, mas como operacional da contra-guerrilha estava careca de saber que tratar mal populações nativas era péssimo para o esforço de guerra.
Já agora, espero bem que repudiem massacres perpetrados por tropas portuguesas e pelos gajos da Frelimo, porque se só um dos lados arca com defeitos e o outro só virtudes, então só temos asneiras e falsidades à moda do Moedas, Borges, Passos, Sócrates, Gaspar, Teixeira dos Santos, Cavaco e por aí fora.

http://ambicanos.blogspot.pt/2012/11/operacao-marosca.html