terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Bento XVI – Vá lá... deixem o homem ir embora em paz!!!


Eu sei muito bem que para resolver o meu problema de “náusea” com a avalanche de notícias, comentários, dúvidas, imagens de cortejos a despropósito, etc., etc., sobre a figura “resignante” do papa... basta-me o precioso botão do televisor, a que o José Mário Branco chamou – e muito bem! – “onofre”.
Como já usei o meu “onofre” deixei de aturar a histeria colectiva que aí vai... mas ainda assim, não pude evitar ficar a saber da ansiedade que assola as hostes do Vaticano;
O papa vai retirar-se e ficar em silêncio absoluto? Vai falar? Vamos ter que andar “escrutinar os seus textos à vírgula” (sic)? Irá estar na missa de posse do novo papa? Isto já andava a ser planeado há que tempos? Que fazer com os segredos que ele ficou a conhecer?!!!
Adiantando já, embora tal não fosse necessário, que sou terminantemente contra uma solução tão radical... lembro os manda-chuvas do Vaticano que têm uma maneira de resolver a questão do silêncio do senhor Ratzinguer de uma forma infalível, definitiva... e com provas dadas.
Na verdade, a solução de que falo já foi aplicada com extrema eficácia a muitos outros papas antes deste!
Presumo que não seja necessário fornecer uma lista de nomes, mas pronto, aí vai à mesma...

13 comentários:

augusta disse...

O meu “onofre” folga mais do que trabalha, entrou há pouco ao serviço, O Homem, o Artista, O Mestre, O homem dos dedos mil, o Camarada o merece!
Ao senhor Ratzinger, já disse, boa viagem, descanse, não acredite no rezas sim, ciência não! Cuide-se, de anjos da guarda peça responsabilidades a quem os inventou, olhe a lista…

Ao som da guitarra com gente dentro,
Cantigueiro, obrigada!

Rogério Pereira disse...

"Ratzinger é um pastor derrotado e coerente que, farto de lutar, retira-se para a clausura antes de ser devorado pelos abutres [da cúria de João Paulo II,] ávidos de riqueza, poder e imunidade." - Miguel Mora, in El País


"As vestes e o rosto tão sujos da tua Igreja Igreja assustam-nos, mas somos nós mesmos que as sujamos" - Ratzinger, em 2005, antes de ser eleito

Anónimo disse...

"... os manda-chuvas do Vaticano que têm uma maneira de resolver a questão do silêncio do senhor Ratzinguer de uma forma infalível, definitiva e com provas dadas..." é a mesma maneira que o PCUS, o PCP segundo alguns e outras sucursais daquele e deste também tinham para resolver questões de silêncio de uma forma infalível, definitiva e com provas dadas.

samuel disse...

Anónimo (18:11):

Ora aí está... "corajoso" anónimo sem cara.

Onde é que prefere levantar o alguidar de plástico do prémio? :-) :-) :-)

Anónimo disse...

Prefiro levantar o alguidar amanhã, por volta das 13:00h, na Av. da República à porta do Galeto. Não se esqueça de estar lá a horas com o alguidar.
Aproveita e vê a minha cara.

samuel disse...

Anónimo (18:44):

E compromete o seu corajoso anonimato por tão pouco? :-) :-) :-)

Bom almoço!

Pata Negra disse...

Após a resignação do papa um raio caiu sobre cúpula da basílica de S.Pedro (é uma das notícias do dia).
Após o teu post sobre o assunto um raio de um anónimo caiu sobre o teu blog - que coisa rara! uma ave rara! um milagre!

augusta disse...

raio mais raio, visível ou não...

Um, descarga elétrica de seu nome, inicialmente algo de sobrenatural, o desmistificou e explicou Franquelim, confusões não haja, apelido de Benjamim, recorrendo à electrostática.
O outro...

Tudo tem uma explicação...

Jose Rodrigues disse...

O Zé Policarpo disse(videos Sapo) que é preciso é identificar a pessoa independentemente de saber se é "europeu,PRETO,asiático ou da América...se fosse outro que eu cá sei a dizer PRETO já o face. estava inundado de escandalizados...

Abraço

Rocha disse...

Por estes dias há outra retirada. A retirada do símbolo comunista da foice e martelo dos cartões de militante do Partido Comunista Francês (PCF).

Se bem que isto possa não ter nada a ver com a demissão do Ratzinger, tem certamente um significado histórico muito mais importante.

Uma palavrinha apenas para a direcção do PCF: canalhas!

Olinda disse...


Vamos ficar atentos ao porquë da resignacao do chefe de Estado do Vaticano.O que tenho ouvido,sao sô "faits divers",alguns bem absurdos.


Um abraco

Luis Nogueira disse...

Enfim, a "Prada" perde mais um cliente a quem fazia o chepeuzinho, e os sapatinhos, a quem certamente bordava as cuecas (sem breguilha) do vigário de Deus.
Foi o mesmo cliente que a Hugo Boss perdeu quando da derrota do nazismo e deixou de fazer os uniformes SS também deste velhinho então pimpolho e nazi. Nazi, pois. Que outra coisa lhe chamar? Ou era dos tais que não sabia?
Os nazis são os politiqueiros que se aliam ao capital para esmifrar os sesus direitos, para destruirem as suas conquistas, como a Reforma Agrária, que deixou o país em situação de dependência alimentar, os que mataram o Casquinha e o Caravela, os que foram buscar o Jardim Gonçalves ao Brasil, o Jaime Neves, por aí fora? Se estes tipos não são nazis, o que serão: sociais democratas? democratas cristãos? a p. que os p.?

Luis Nogueira

Anónimo disse...

Luis Nogueira, repare bem neste delicioso diálogo:

-Qual é o valor da tua ferramenta? QUAL É O VALOR DA TUA FERRAMENTA PÁ?
Então é isso que tu dizes pá...Tudo isto é da cooperativa pá. Não é meu, não é teu, não é deste, é do povo pá...

- É da "comprativa"? e ou outros que não trazem a ferramenta? é da casa deles? e a minha é da "comprativa"??!

-Dás-me licença ( pegando numa enchada): ISTO tem o valor de 100 escudos.Vem para a cooperativa e a coopetativa paga-te 100 escudos e isto já não é teu: isto é meu, isto é teu, isto é do povo pá...

- Pode ser teu ou do povo, mas eu é que trabalho com ela, trabalho naquilo que é meu, tenho de comprar outra e depois é sempre da "comprativa" pá? Daqui a nada o que tenho vestido, calçado é da "comprativa"e eu fico nu?

-É isso, é isso mesmo pá.Tu não ficas nu pá, tu ficas com mais roupa da que tens agora pá...não percebes pá???...

Isto é um pequeno excerto de um célebre documentário sobre a tb célebre Cooperativa Torre Bela em Azambuja, salvo erro, feito em 1975 nos gloriosos tempos do Prec.

E a que propósito vem isto pergunta você, se é que me permite este tratamento.

Vem a propósito de que você, ao falar da Reforma Agrária como fala, parece mesmo o camarada do documentário: Isto é meu, isto é teu, isto é do povo pá...

Se não é o camarada olhe que parece...pá!

P.S. O documentário está no youtube (Comprativa Torre Bela)